domingo, 5 de abril de 2015

Kirby's Dream Land


Não deixe essa carinha fofa te enganar.

Esse ser possui poder além do que a sua imaginação possa conceber. Ele conseguiu enganar todo o mundo, conquistou o afeto de milhões, faturou milhões de dólares pra Nintendo e curte uma vida de fama e porradaria em Super Smash Bros.

Mas não a mim! ELE NÃO CONSEGUIU ME ENGANAR!!!

*cof cof*

Kirby's Dream Land é um jogo de Game Boy lançando em 1992 pela HAL Laboratory, com distribuição da Nintendo. É o primeiro jogo a ser estrelado por essa bolinha rosa (do Tinhoso) conhecida como Kirby. Eles também são os responsáveis pelo jogo EarthBound e a série Super Smash Bros., mas eles conquistaram mesmo o mundo com o herói estelar.

Vocês devem estar estranhando, entretanto, por que estou sendo tão dramático em relação às habilidades dessa coisa. Permitam-me explicar a razão.

Tá amarrado!


Kirby é um serelepe habitante de um reino chamado de Dream Land. Esse reino é governado pelo malicioso Rei Dedede (nome bem bisonho) que decidiu fazer um banquete monstruoso, daqueles de fazer inveja às outras monarquias.

Entretanto, como todo bom regente, pra fazer um banquete de responsa, ele simplesmente rouba toda a comida dos seus súditos pra montar os pratos. Por que absolutismo não é apenas uma palavra qualquer.

Ao ver seu povo entrando em desespero, Kirby decide tomar a situação nas próprias mãos e parte numa jornada para enfrentar King Dedede e recuperar a comida do povão.


Uma das vantagens de se jogar num emulador é que é bem mais fácil de se analisar os gráficos do Game Boy, pois não há fundo verde pra martelar a sua cabeça e a tela é bem maior.

Dito isso, devo dizer que esse jogo é muito fofinho. Ele é todo infantil, desde os ambientes, que são bem simples, até os inimigos, nenhuma figura ameaçadora. Ele parece um jogo de 8-bits muito bem feitinho e detalhado, apesar das limitações do Game Boy. A única parte ruim é que o Game Boy não tem cor, então você perde um pouco da suposta magia da Dream Land.

A trilha sonora é excelente, empolgante e divertida. Combina perfeitamente com o jogo.


Dream Land é uma plataforma excelente e muito viciante.

Você possui uma barrinha de energia simples, cada ataque inimigo te tira um ponto de energia e quando você fica sem energia e morre. Caso você caia num buraco, você também morre automaticamente.

A sua principal forma de ataque é sugar o ar ou seus inimigos e disparar esse poder concentrado nos seus inimigos. Se você já é um pouco mais manjão, saberia que a principal habilidade dele é copiar a habilidade de inimigos. Entretanto, essa habilidade só aparece no jogo seguinte, Kirby's Adventure, do qual falarei num futuro próximo.

Por isso tô falando que esse trocinho é do lugar lá de baixo. Ele possui um estômago sem limites, pode devorar praticamente qualquer coisa, além de transformar matéria em energia. Não apenas isso, mas ele pode absorver as habilidades dos inimigos, ele praticamente absorve a vida desses pobres seres. E ainda sim, ele é um queridinho dos fãs.

VADE RETRO SATANA!!!

Há alguns itens na fase que servem de power-ups. Alimentos possuem diversos efeitos, como recuperar energia, garantir imunidade e dar ao Kirby o poder lançar de bolas de fogo. Como você pode juntar ar e começar a flutuar, há também uma folhinha que lhe permite flutuar por mais tempo.

E se você é daqueles que tem apreço por um desafio, quando você termina o jogo pela primeira vez, tu ganha um código pra liberar uma versão bem mais difícil do jogo. E se você zera pela segunda vez, você ganha um outro código pra liberar o menu de configuração do jogo, pra colocar mais vidas, decidir o tamanho da barra de energia e curtir o sound test.


Kirby's Dream Land é o estereótipo do jogo de portátil: simples, divertido, perfeito pra passar o tempo. Mas isso não quer dizer que o tempo será mal-passado. Muito pelo contrário, recomendo fortemente, apesar de meus temores em relação a esse ser sinistro. Nunca se deixem enganar por esses olhinhos de traço.

E pra semana que vem: alguém definitivamente viu muito MST3k.

Por hoje é só, pessoal!

Nenhum comentário:

Postar um comentário